TLNR Técnica de Liberação Neuro-refléxica

Técnica de Liberação Neuro-refléxica – TLNR

TLNR TÉCNICA DE LIBERAÇÃO NEURO REFLÉXICA

Técnica Quiropráxica

 Ch 20 h em dois dias , com aproveitamento de 20 h na fase 2 do PEC de Quiropráxia da ANAFIQ. Também validável no PEC de FM e RTO.

 Em uma era influenciada por filósofos quiropraxistas revolucionários como Hugh Logan com o Logan Basic e  Major Dejarnette, coma técnica Sacro Ociptal, (SOT),  surgiu um novo movimento que transformou o escopo profissional da Quiropraxia. Desde a publicação da obra dos  Quiropraxistas, Hurley e Sanders conhecida  como  The Age of Aquarium of Healling Arts a Quiropraxia passou por diversas influências inovadoras.  “Em 1932, o Dr. Hurley e o Dr. Sanders publicaram seu primeiro livro Cura pela era Aquariana.

“Quiropraxia não é ajuste mas o ajuste é uma parte fundamental da Quiropraxia”

Hugh Logan D.C.

 Após este movimento a Quiropraxia  Mixer se desenvolveu e fez florescer novos conceitos de tratamento inspirados nas técnicas refléxicas e indiretas tendo se direcionado não somente para abordagem articular mas também para abordagens estruturais ligamentares, fasciais e principalmente refléxicas, capazes de promover facilitações e correções que podem tratar  de forma associada ou não ao ajuste, mas de forma alguma perdendo a especificidade.

O TLNR, foi desenvolvido, baseada nos estudos da técnica de Nimmo, do Logan Method associado com estudo da fisiologia neuromuscular, relacionada a pontos motores e refléxicos capazes de reestabelecer o equilíbrio muscular e contribuir para o reposicionamento refléxico articular. Esta é uma técnica Fisioterapeutica Quiropráxica de tecidos moles que utiliza estimulações neuromusculares e articulares especificas com o intuito de promover liberação muscular refléxica que possa trazer benefícios biomecânicos mioarticulares refléxicos, facilitando a ação da quiropraxia ajustiva articular, atuando em conjunto com a mesma ou mesmo de forma independente.

Princípios e fundamentos:

  • Observa que a cinesiopatologia articular promove a miopatologia e a miopatologia também promove desequilíbrio articular.
  • Considera o efeito do CSV na desequilíbrio musculoesquelético, causando desequilíbrio musculares que progressivamente podem promover disfunção estrutural.
  • Considera que alterações estruturais (por exemplo doença de Scheouerman), podem promover disfunção articular ou até mesmo muscular, ou outros tecidos moles.
  • A causa primaria pode se alternar entre disfunção articular, muscular ou estrutural.
  • A técnica é capaz de promover relaxamento refléxico utilizando pontos especiais, principais e auxiliares de normalização de tônus muscular. Também localiza pontos motores em regiões chave de controle.
  • O método pode ser aplicado manualmente e/ou através de um instrumento nomeado como Instrumento de Terapia Manual Fisch (ITM Fisch).
  • Utiliza um modelo anatômico e neurofisiológico nomeado como neuropático.
  • Pode ser associada com movimentos articulares manuais e até mesmo ajustes axiais ou apendiculares.
  • Clinicamente é combinada com métodos físicos de agulhamento neuropático e exercícios.
  • A técnica começou a ser desenvolvida em 2006 por pelo Fisioterapeuta Quiropraxista Pablo Dias, com uma abordagem manual e instrumental com a concepção de um instrumento de terapia manual instrumental denominado FISCH foi desenvolvido em 2014.

 

Conteúdo programático.

Momento 1

Conceito de Subluxação baseado no modelo de Faye Bases teóricas da fisiologia neuromusculares, fusos musculares, órgão tendinoso de golgi. Conceito de pontos motores e sua correlação na liberação refléxica. Miopatologia e sua relação com o complexo subluxação quiropráxico, fisiopatologia dos Tigger Points , Taut Bands , Hiperatividade Muscular Aguda e Crônica.

Conceito de tônus receptor refléxico,

Conceito de terapia de liberação refléxica

Áreas refléxica principais, Pontos refléxicos auxiliares,  Liberação refléxica manual

Histórico e fundamentação da técnica de Liberação Refléxica, anatomia de áreas refléxicas principais, auxiliares e secundárias.

Protocolo básico do dorso, pontos de contato e manobras, protocolo topográfico e de estimulação em áres reféxicas musculares (30 s) e em árias neuropáticas (30 repetições).

Posicionamento do paciente e do terapeuta, prática do protocolo dorsal no cinculo inferior, membros inferiores, cíngulo superior membros superiores. Prática orientada do protocolo de liberação refléxica básica.

Momento 2

Liberação Miofascial Instrumental com ação mecânica direta com ITM FISCH

Liberação Refléxica Instrumental com ação refléxica indireta com ITM FISCH

Demonstração e prática instrumental do protocolo dorsal com o ITM (Instrumento de Terapia Manual) FISCH no protocolo de liberação refléxica.

Demonstração e prática instrumental de LMD liberação miofascial direta com o ITM (Instrumento de Terapia Manual) FISCH com agente umectante com indicação de tratamento de tendinopatias e disfunções miofasciais.

Momento 3

TLNR apendicular, indicações e contraindicações.

TLNR apendicular prática e aplicação clínica.

Cupping dinâmico em áreas refléxicas apendiculares e axiais. ( tibial anterior, junção miotendínea do tríceps sural, braqui radial, inserção do deltoide, área refléxica média, superior e inferior.

Correlações e casos clínicos.

Momento 4

Apresentação das áreas refléxicas miofasciais ventrais  no protocolo de liberação refléxica.

Ativação de áreas refléxicas anteriores: Superior, média e inferior.

Protocolo de liberação pévico diafragmática ventral.

Membros inferiores aspecto anterior no tracing do nervo femural.

Membros inferiores aspecto medial e ponto refléxico infraplatôtibial medial

Liberação Miofascial Instrumental com ação mecânica direta com ITM FISCH

Liberação Refléxica Instrumental com ação refléxica indireta com ITM FISCH

Protocolo refléxico na cabeça e articulação temporomandibular.